Alimentação saudável: uma forma de se manter bem preparado para concursos
By in

Alimentação saudável: uma forma de se manter bem preparado para concursos

A alimentação adequada e saudável é um direito humano básico e deve atender aos princípios da variedade, equilíbrio, moderação e prazer (sabor), às dimensões de gênero e etnia, e às formas de produção ambientalmente sustentáveis, livre de contaminantes físicos, químicos e biológicos e de organismos geneticamente modificados (CONSEA, 2007). Portanto, uma alimentação saudável é aquela que contém todos os grupos alimentares, possui harmonia de cores e texturas, é nutricionalmente equilibrada (carboidratos, gorduras, proteínas, vitaminas, minerais e fibras) e baseada em alimentos in natura (frescos) e da safra.

Uma alimentação saudável é composta basicamente por alimentos in natura ou minimamente processados que fazem parte da cultura alimentar brasileira e previnem uma série de doenças crônicas como as cardiovasculares, diabetes e alguns tipos de câncer. Ou seja, a alimentação saudável é feita com comida de verdade como preconiza o Guia Alimentar para população brasileira (BRASIL, 2014), que recomenda que se evite o consumo de comida congelada, fast food e produtos ultraprocessados como biscoitos, salgadinhos, refrigerantes e outras bebidas açucaradas.

Desta forma, para se manter saudável durante o preparo para um concurso é essencial prestar atenção em algumas dicas que podem propiciar a melhoria do rendimento e a memória mais ativa, facilitando a assimilação dos conteúdos estudados. Para se manter bem alimentado é fundamental realizar de 5 a 6 refeições por dia, dentre elas o desjejum, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia.

Vitaminas e minerais são substâncias importantes para o pleno funcionamento do organismo, pois participam de vários processos celulares. Se você fizer uma alimentação completa e variada terá todos os nutrientes que o seu organismo necessita. No entanto, ainda que essenciais à vida, as vitaminas e minerais não devem ser ingeridos em excesso, pois podem fazer mal à saúde. Por isso, não se deve utilizar suplementos por conta própria. Uma alimentação adequada e saudável é capaz de fornecer benefícios para além daqueles obtidos nos suplementos.

 

Como se alimentar na véspera da prova

O cardápio deve ser leve e composto por frutas, chás, iogurte desnatado, cereais integrais, legumes, verduras e carnes magras. Alimentos que devem ser evitados, são especialmente aquele considerados de digestão demorada como comidas gordurosas. Evite também ingerir alimentos com procedência duvidosa, pois pode ocorrer crescimento de bactérias causando infecção intestinal, vômito e diarreia. Bebidas alcoólicas, também devem ser evitadas, pois alteram a taxa de glicose no sangue e podem causar enjoo e sonolência quando em excesso.

           

A alimentação no dia da prova

Deve ser leve, sem exageros. Evite alimentos gordurosos e prefira carboidratos integrais, vegetais e proteínas magras. Se a prova for de manhã, opte por frutas ou suco de fruta natural, pão integral, mel, queijo branco ou ricota. Se você não gosta ou não consegue comer pela manhã, lembre-se que permanecer em jejum no período da prova pode comprometer o seu rendimento. Consuma carboidratos, que são uma boa fonte de energia e combustível para o cérebro, mas prefira os integrais, ricos em fibra e que proporcionam saciedade prolongada.

Se a prova for na parte da tarde prefira uma refeição à base de frango ou peixe grelhado, salada, arroz ou macarrão integral, fruta ou suco de fruta. Evite alimentos muito condimentados e ricos em enxofre, como feijão, repolho, ovo cozido ou farinha, pois tendem a produzir gases que pode levar à cólicas e desconforto durante a prova.

Mesmo que você não tenha hábito de fazer o desjejum ou não consiga comer quando está ansioso, esforce-se para fazer uma refeição leve. De forma alguma faça a prova de estômago vazio, pois pode resultar em hipoglicemia ocasionando dor de cabeça, queda na pressão, fraqueza e dificuldade de concentração. Se você tem pressão baixa, procure levar um biscoito salgado para, em caso de necessidade, auxiliar sua concentração.

Refeições “pesadas” e alimentos gordurosos retardam o esvaziamento gástrico, exigem muita energia para a digestão e acabam deixando a pessoa sonolenta, o que prejudica a leitura e interpretação das questões. Alimentos muito salgados, que podem dar sede e causar desconforto durante a prova, também devem ser evitados.

 

Durante a prova

Muita calma, boa hidratação e lanches saudáveis proporcionam melhor eficiência antes e durante a prova.Prefira água ao invés de bebidas energéticas e bebidas açucaradas (néctar e refrigerantes). Uma sugestão de alimentos que podem dar energia durante as provas são frutas desidratadas (maçã, banana, abacaxi), barrinhas de chocolate que fornecem energia e elevam a produção de serotonina (substância relacionada à sensação de relaxamento). A recomendação é de chocolate composto por 70% de cacau, uma vez que os tradicionais têm muito açúcar e gorduras.

 

Referências:

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2. Ed. Brasília, 2014.

 

Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. III Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – por um desenvolvimento sustentável com soberania e segurança alimentar e nutricional. Relatório final. Fortaleza: Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, 2007.

 Patricia Henriques

 Professora do Departamento de Nutrição Social da Universidade Federal Fluminense

 

Todo conteúdo acima é de responsabilidade do próprio autor